Quarta-feira, 05.11.08

Podes ouvir aqui uma entrevista que Robert Pattinson deu por telefone a vários sites dedicados a Harry Potter e Crepúsculo.

 

 

TWILIGHT SERIES THEORIES: Como é passar de um adolescente normal para um Rob quebra-corações?
R: Hum, eu espero que não tenha me mudado em nada. Não me sinto mudado. Não sinto nenhuma diferença de antes. Acho que meus amigos teriam que me julgar. Mas, não acho que sinto diferença alguma.

Bem, isso é optimo. Como  manténs a cabeça no lugar?
R: Eu acho que eu sou meio que uma pessoa hipercrítica. Sim, quero dizer, eu acho que tenho um pouco de ambição, o que não percebia quando era mais novo, então tudo que acontece comigo meio que barra em comparação a minha ambição.

EVERGLOW: Você está totalmente exausto de fazer toda essa publicidade?
R: Um pouco, sim.

Muitos dos nossos visitantes querem saber sobre sua música. Você pode falar um pouco sobre suas influências musicais? Sabe, suas bandas favoritas, e como você descobriu a música...
R: Acho que eu gosto de muito blues das antigas. Eu realmente amo Van Morrison. Fui obcecado por Van Morrison durante anos. Um cara chamado Terry Reed, cantor dos anos 70. Como eu descobri a música? Não sei. Eu muito raramente descubro música. Meio que – por acaso – muitos de meus amigos são músicos, então eu escuto bastante o que eles fazem. Eu os encontro e sei que gosto deles, então fico com a música na cabeça.

TWILIGHT LEXICON: Nós temos uma pergunta sobre seu trabalho de cenas de ação no filme. De todas as promoções que temos visto, parece que existe um extenso trabalho para estas cenas. Nós nos perguntamos se você poderia compartilhar com a gente sua cena de ação favorita, e a mais difícil que você fez para o filme, pessoalmente.
R: Tem uma parte durante a cena do [estúdio] de balé, onde – foi minha idéia, na verdade, e eu gostei – onde tinha, é uma hora em que eu e James meio que temos uma colisão no ar. Não sei se já foi mostrada em algum dos vídeos. Eu gosto – tem uma cena em “Alexandre” de Oliver Stone, onde os elefantes se levantam contra o cavalo, e eu meio que adorei, e achei que gostaria de uma cena dessa com Edward e James. Então foi meio complicado. Foi um pouco divertido. Algumas das cenas eram realmente perigosas, então eles não me deixavam fazê-las. Isso foi provavelmente o mais legal. A mais difícil foi fazer a parte de correr, porque era muito doloroso e difícil fazer parecer real, porque eu na sou uma das pessoas mais coordenadas.
Por que foi doloroso?
R: Porque você está balançando o corpo inteiro em dois fios, como um gancho, e também está sendo puxado a 35 milhas por hora fingindo correr, o que provoca atrito contra tudo. Foi realmente, realmente desconfortável. E para fazer a cena parecer real, você tem que ir na posição mais dolorosa. Como se você tentasse fazer alguma coisa para melhorar a dor, e isso parecesse falso. Então não foi divertido mesmo.

THE DAILY SNITCHER: Imaginando que haverão mais filmes de Twilight, você acha que esta série pode fazer contigo o que Harry Potter fez com Dan Radcliffe?
R: O que quer dizer? Você diz, tipo, o mesmo nível de fama? Não sei, talvez. Quero dizer, as pessoas são mesmo obcecadas por esses livros como são por Harry Potter. Mas é um tipo diferente de obsessão, na verdade. Eu não sei se seria capaz de lidar com isso. Acho que é uma possibilidade, dependendo em quão bem você faz, eu acho.

Os fãs de Twilight são mais loucos que os de Harry Potter?
R: Eu não sei, porque não fiz muitas coisas promocionais para Harry Potter. Fiz muitas viagens para coletivas e tal, mas não um confronto real com os fãs, como fiz neste filme. Fiz bastante com este. Então, nunca vi a real extensão de Harry Potter, como o que eu fiz em premieres, o que é exatamente o que eu esperava. Mas com Twilight eu não esperava nada, digo, as pessoas só gritam, gritam com o trailer, as pessoas ficam loucas. Então é uma experiência nova.

TWILIGHT MOMS: Quais características você tem em comum com Edward, se existe alguma?
R: Eu acho, não tantas assim, mas eu gostaria de achar que sou bastante humilde, o que acho que ele é. Outra coisa que estava pensando recentemente da singularidade dele, e suas afeições e no quão sério ele encara as emoções. Se ele não se sentir 100% então não tenta fingir para alguém que se sente. Acho que sou parecido com ele nesse aspecto.

ROBERT PATTINSON ONLINE: Em uma entrevista recente, você mencionou que gostaria de ser um escritor. É algo que você ainda gostaria de fazer no futuro?
R: Sim, definitivamente. Eu acho que muitos atores querem ser escritores. Acho isso porque você tem tão pouco controle no modo em que interpreta seus personagens e o modo com que você é permitido interpretá-los. Acho que ajuda se você escreve. Queria escrever antes de atuar. Sim, definitivamente me interesso em escrever.

TWILIGHT TEENS: Qual foi o encontro mais louco com fãs dentro e for a do set de filmagem?
R: No set, acho que a coisa mais estranha foi quando alguém me deu um bebê para tirar foto com ele. E fora do set, acho – provavelmente, o Comic-Com, quando eu cheguei lá e tinha milhares de pessoas gritando. Foi muito intenso.

HARRY POTTER’S PAGE: Eu sei que você escreveu um diário assim que chegou em Oregon para escrever seus pensamentos como Edward. Poderia nos dar algum detalhe sobre o que escreveu? E se você tivesse, ou se pudesse ter, escrito um para o Cedrico Diggory, o que teria escrito?
R: Eu não sei de onde essa coisa de diário surgiu. Quero dizer, eu só escrevi várias notas. Eu tinha quatro ou cinco versões diferentes do script. Porque, quando você olha o personagem sob uma perspectiva de fora no começo, quando você está tentando descobrir como interpretar, parece totalmente impossível, e então eu meio que – na verdade me levou um longo tempo até descobrir como humanizá-lo. Se eu o interpretasse com este tipo de enigma, seria realmente chato. Então eu tentei escrever o exato significado de cada fala que ele diz, em termos de subtextos, e com Edward, existem muitos subtextos. E mal consigo pensar em alguma coisa especifica para Cedrico. O que eu teria escrito para o Cedrico? Não sei... com Cedrico eu me senti muito natural, fazendo várias coisas dele. Acho que é porque foi meu primeiro papel, eu fiquei dizendo para mim mesmo “não é grande coisa, não é grande coisa, está tudo bem se você disser uma fala ou coisa assim’.
Você se sente mais parecido com Cedrico então?
R: Na verdade, não. Eu conhecia um cara como Cedrico quando ia para a escola. Eu pensava bastante nele quando interpretava, mas tem algumas coisas sim, mas uh, eu pareço muito com algumas coisas de Edward também.

TWILIGHT LIVE: O que você pensou para encarar um personagem como Edward, que não é humano, e que tem estas habilidades não-humanas, que lê pensamentos, e tem essa pele como mármore. Como você trouxe isso para a tela?
R: Eu acho que uma vez que você decide interpretar um personagem, você deve dizer que estes são as características do personagem e você tem um compromisso em crer nelas. Então se o que diz é “você ouve mentes,” ele está ouvindo mentes o tempo todo, então eu estava tentando pôr isso em minha cabeça. A maior parte do tempo tinha a questão de humanizar o personagem. Tipo, cada pequeno aspecto. Por exemplo, como você - como um indivíduo - se comportaria e o que pensaria, se fosse mil vezes mais forte que um ser humano ou mil vezes mais rápido, e isso tivesse acontecido do nada? Você normaliza tudo, e foi isso que eu tentei fazer. Acho que foi isso. Tentar e fazer com que ele fosse semelhante em algum aspecto comigo.

HIS GOLDEN EYES: Qual é seu dinossauro favorito?
R: Qual é meu dinossauro favorito? Me deixe pensar... provavelmente um pescoçudo. Eu posso parecer um pescoçudo.

TWILIGHTERS ANONYMOUS: Já que se preparou tanto para Twilight indo para Oregan para as gravações, como você vai se preparar para “Lua Nova”, que é muito mais sombrio e emocional?
R: Eu acho... Eu não estou totalmente certo ainda. Comecei a ter idéias sobre isso. É chato não saber ao certo quando começarão as gravações. Eu não sei mesmo. Porque já fiz Twilight e definitivamente existe um elemento do personagem dentro de mim. Definitivamente planejei fazer ao menos Lua Nova e Eclipse, então meio que tenho uma idéia. Muitas coisas que não fiz em Crepúsculo eu pensei que posso fazer em Lua Nova. Não sei como vou me preparar para isso. Acho que sua magia será bem diferente.
Você acha que será mais fácil se preparar para Lua Nova, já que já se conectou tanto com o personagem de Edward?
R: Espero que não, porque tudo mais fácil é chato. Não sei, quero dizer, eu o trataria como se fosse uma coisa completamente separada, de qualquer forma. Porque ele é tão diferente. Muito de sua coisa mística é quebrada em Lua Nova, em minha opinião, então ele é um personagem muito diferente.

BELLA AND EDWARD: O quando “Midnight Sun” influenciou para sua interpretação de Edward? E você pode nos contar alguma cena de Midnight Sun que esteja no filme?
R: Não tem tanta coisa. De forma geral, eu estava pensando “Por que esse cara é tão atrativo?” e também “como você pode parecer tão atrativo para as pessoas que não sabem a história por trás do livro?” Pessoas em geral. Eu estava pensando que tinha que ser, especialmente para as garotas, eu sempre achei que as garotas são mais atraídas por algum tipo de perigo, algo errado.. então eu quis colocar muito dos aspectos perigosos de Edward na atuação. Então é meio que tem muito... ele é duramente ferido em vários lugares, existe uma fúria ou raiva, da qual ele tem pouquíssimo controle. Sabe, quando ele pensa muito em matar, ou aumentar suas opções, ou matar a escola inteira pra que possa matá-la e não tenha testemunhas. Ele dizendo isso não é uma possibilidade distante. Ele tem que pensar sobre toda a situação em questão de segundos. Eu meio que quis passar mais isso na atuação.

TWILIGHTERS: O que te fez querer fazer o teste para o papel de Edward?
R: Não sei, digo, eu tinha visto “Into the Wild” e vi Kristen [Stewart], e era a principal coisa. Eu realmente pensei que não fosse conseguir o papel quando cheguei lá. Não tinha a menor idéia. Pensei até que fosse meio bobo ir fazer o teste. Mas, não sei, acho que foi a forma com que eles estavam fazendo os testes, com a diretora, o diretor da casa, com a atriz. Eu sabia que Kristen era muito boa, então fui como um teste normal, e então realmente gostei da forma que foi, e mudei de idéia sobre tudo.

Então, basicamente, Kristen foi o que mais te motivou a ir fazer o teste?
R: Sim, bastante. Especialmente depois do teste, eu não sei, fui sem ter a menor noção de como iria fazer isso. Pensei que ficaria lá e posaria. Porque eu tinha pensado que a coisa mais importante no personagem, a forma que eu vi no início, foi a forma que ele era nos livros. Porque dizia ‘ele é tão lindo, ele é tão lindo’. Então achei que iria lá e tentaria parecer o mais bonito que pudesse. Essa era a idéia que eu tinha quando cheguei. Mas depois, mudei minha mente sobre tudo.

TWICON: O que você acha que é mais legal de fazer aparições – é encontrar o resto do elenco, passar um tempo com fãs, exposição na mídia – o que é mais importante quando você faz aparições públicas?
R: Não sei. Por um lado eu quero fazer tudo o que puder para o filme ser um sucesso. Então, quero que seja um sucesso. Por um lado as seqüências poderão ser feitas. Não sei, isso ainda é muito bizarro para mim, entrar em uma sala onde todos estão gritando. É assim toda vez que tem um evento. É meio louco, porque o filme nem mesmo estreou. É como na Cidade do México, onde milhares de pessoas vieram e sabiam quem eu era. A extensão de tudo, onde pessoas vêem suas entrevistas e tal.

TWILIGHT GUY: De sua experiência em interpretar o personagem, quais são as coisas que você acha que os homens podem tirar de Edward Cullen?
R: Definitivamente eu acho que não revelar muito sobre si mesmo é uma coisa boa, especialmente em fazer você parecer mais atraente. Ele é ótimo em ficar calado, e sempre é bom para alguém não conversar. Tem muitas coisas. Sua humildade. Antes de ser um vampiro, ele era um cara normal, um cara bom. Ele era muito consiente. Até mesmo depois de ser um vampiro, ele precisa responder a seus instintos básicos, ele está sempre lutando contra isso para sua própria moral e sanidade. Acho que isso sempre é bom, ter seus valores.

Você acha que Edward te mudou de alguma forma nesse sentido? Acha que isso te fez uma pessoa melhor pela forma que entrou no personagem?
R: Talvez. Foi estranho, porque você nunca sabe o que está dando a um personagem de sua vida ou de sua vida antes do filme, e o que está tirando a partir de sua criação. Mas quando fiz o filme anterior a Twilight, me sentia mais confiante. Quando era Twilight, e aquela preparação para isso, eu tinha muita dúvida interna, o que acho que Edward tem demais, e comecei a duvidar de mim mesmo em diversos sentidos da minha vida real também. E isso é, uh, não sei se isso me faz uma pessoa melhor ou algo do tipo. Sim, isso meio que mudou um pouco quando eu estava gravando.

SNITCH SEEKER: Você já recomendou o livro de Twilight para algum amigo? Recentemente eu li em um artido que o ator de Harry Potter, Rupert Grint, tinha feito uma aposta com você, e por ter perdido a aposta, você o mandou começar ler os livros de Twilight. Se isso é verdade, pode contar como foi?
R: (rindo) Não, isso não é verdade.

Foi o boato mais estranho. Mas, você recomendou os livros para algum de seus amigos?
R: Hm, eu não tenho muitos amigos, pra ser sincero. Tenho dois amigos. Quero dizer, eles já sabem que estou fazendo Twilight, então seria (estupidez) se eu dissesse “Hey, já ouviu falar nesses livros ‘Twilight?’” Acho que eles provavelmente – eles já devem ter lido, não tenho certeza. Sei que minha família leu.
Qual o papel mais fácil de um filme que você já interpretou em sua carreira? Qual deles você mais se identifica?
R: Tem um pouco de cada – alguns personagens você gosta de interpretar, porque eles podem te levar à algum lugar. De várias maneiras, eu gosto de fazer Edward, porque ele tem essa coisa de, segredo sobre ele, e ser capaz de interpretar isso o tempo todo, meio que entra na sua vida. Muitas coisas diferentes. Pareço em algumas coisas com Salvador Dali, surpreendentemente.
Cedric?
R: Sim, Cedric também. Eu olhei para esse papel quando estava fazendo, eu não tinha idéia de como atuar, então eu meio que estava fazendo de improviso. Não sei o quanto dele eu estava actuando e o quando estava apenas dizendo as falas. Então, muitas coisas. Tem um que eu fiz que se chama “The Haunted Airman”, tem bastante coisa.

 

Tradução: Pattinson Brasil



Patrícia_TP às 14:28 | link do post | comentar

2 comentários:
De eduarda regina botelho a 4 de Janeiro de 2009 às 03:03
olha acho que divia ser traduzido e ter algum videos!!!!!!!!!!!!!!!!!!!


De Catarina_TP a 4 de Janeiro de 2009 às 14:06
lol


Comentar post

status

Online desde:25.04.2008

Contador: hits

Staff do TP: And, Carolina
layout: MissangaAzul


Contactos


em todos os momentos twilight


Já nos deste o teu like?
pesquisar neste blog
 
Links vários
comentários recentes
Maravilhoso!!
Alegria define em ver essas fotos <3
Como é bom ver fotos atualizadas desse homem marav...
Ok, muito obrigada! <3
Que máximo! Eu queria muito a tradução dessa parte...
Tão fofo!
Sorriso lindo!!
Não sei o que pensar quando vejo esses dois juntos...
Uau! Gostaria de ter participado desse leilão, que...
Boa noite,Não consegui arranjar a entrevista legen...

Arquivo
2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


2005:

 J F M A M J J A S O N D


2004:

 J F M A M J J A S O N D


2003:

 J F M A M J J A S O N D


2002:

 J F M A M J J A S O N D


2001:

 J F M A M J J A S O N D


2000:

 J F M A M J J A S O N D


1999:

 J F M A M J J A S O N D


1998:

 J F M A M J J A S O N D


1997:

 J F M A M J J A S O N D


1996:

 J F M A M J J A S O N D


subscrever feeds