Quarta-feira, 10.12.08

A Hot Actor tem uma grande entrevista com Robert Pattinson, onde ele fala dos fãs de Twilight e de algumas questões relacionadas com as filmagens.

 

Como é que o fenómeno de Twilight é diferente dos filmes de Harry Potter?
Eu acho que já mencionou que o som dos gritos é mesmo diferente. É diferente porque eu acho que é quase exclusivamente mulheres de um determinado grupo etário, e elas têm um tom muito específico. Tem muito mais a ver com o aspecto de sexualidade. Tantas raparigas fizeram desse tipo [o seu ideal], por isso, quando elas te vêem é como que toda a sua energia é projetada para ti. É realmente uma experiência estranha. Eu nunca estive numa experiência em que as pessoas só querem tocar-te - é como estar numa boys band.
 
 
É estranho ter raparigas que são tão jovens terem essa coisa incrivelmente sexualizada em torno de ti?
É estranho que meninas de 8 anos venham ter comigo e digam: " Podes simplesmente morder-me? Eu quero que me mordas." É muito estranho a maneira destas meninas, considerando que o livro é baseado nas virtudes da castidade, mas acho que ele tem o efeito contrário nos seus leitores. [Risos]
 
Achas então, que faz parte disso também?
Uma das coisas que parece tornar o Edward tão atraente para as raparigas mais novas é que se pode tê-lo de duas maneiras. Ele é o típico bad boy, e alguém que não se deveria querer, que nunca te iria prejudicar. É exatamente isto.  É um certo tipo de rapariga. Eu não sei o que é - quando se olha para os sites de fã [pode dizer] -, mas há sem dúvida uma percentagem enorme de pessoas, realmente americanos, que querem esses tipos de tipos. No livro ela sabe o tempo todo [que ele não a vai magoar], mas Kristen [Stewart], e eu tentamos tornar isso não tanto carinhoso, mais imprevisível. Foi o que eu gostei na história - ele está literalmente a controlar-se sempre, nunca descansa. Ele é uma espécie de gentleman, e Kristen e eu realmente, enfatizamos isso - sobretudo quando há cenas íntimas. Quando fizemos o bloqueio para as cenas dos beijos, estaríamos a ir mais longe do que a [realizadora] Catherine [Hardwicke] pensava.
 
 
E porque é que quiseram ir nessa direcção?
Acho que tipo para assustar as raparigas e isso. [Risos] Quer dizer, quem leu os livros não estava à esperava disso, e, para uma pessoa mais jovem, também é bastante chocante. Quando eu li essa cena no livro eu achei que até era sexy e, em seguida, quando foi traduzida para filme, os beijos é um pouco como uma coisa fora de uma série televisiva. Então eu pensei: "Como podemos fazer esta coisa um pouco mais perto do errado?" Acho que muita gente já julgou o filme antes deles sequer terem começado a filmar-nos, e eu não queria ser parte de um filme que era apenas uma coisa para dar dinheiro. Então tentamos tomar tantos riscos como podíamos, e tentar torná-lo um pouco mais sério do que as pessoas esperavam. É muito difícil tomar demasiados riscos.
 
Houve alguns riscos que querias ter tomado que depois acabaste apenas não ser capaz de fazer?
Edward está constantemente a dizer, "Eu sou um monstro, eu sou um monstro, eu sou um monstro", e acaba por não ser um. Nós filmamos a cena final no início, e eu queria que a luta não fosse apenas uma luta, mas para que ele literalmente se tornasse naquele monstro. No livro ele quase que vem para salvar o dia como o herói, mas eu notei quando nós estávamos a fazer o bloqueio que é a primeira vez que ele vê muito sangue dela - e pensei que seria interessante [para ele começar] por querer matá-la e, em seguida, lutar com ele próprio. Há uma parte que reduzimos significativamente na PG-13 - quando eu começo a ganhar, e existem todos estes truques, mas as acrobacias são tão demoradas que não poderiam deixar perceber o que eu e a Kristen queriamos fazer, que foi literalmente para tentar puxar a cabeça dele fora. [Nesse momento] é como se se tornasse no monstro. Depois há a cena em que eu tento atacar [o meu pai no filme], quando ele me diz para parar. " Eu acho que é ele a olhar para mim, a dizer: "Eu pensei que fosses especial. Tu eras o meu protegido, e não és realmente."
Depois desse ponto no filme, ele está certo de que uma vez que ela viu quem ele [realmente] é, não há qualquer forma de haver um final feliz. Eu até queria fazer isso realmente, realmente deprimente; eu só tinha de ir mais, e mais longe do livro como se pegasse em pequenos pedaços.
Eu acho que muitas pessoas que gostam do livro e da história de amor no final será um pouco desconcertado com isso. Mas eu também penso que esse é o melhor tipo de história de amor, onde o tempo todo que ele conhece o seu pensamento e sabe que ele tem tantas dúvidas e tem tantas coisas sobre fraqueza. Tipo, ele não se podia matar, porque ele tem medo de não ter alma. Ele podia não ser um bom vampire vegetariano, não pode ser um bom verdadeiro vampiro, não pode ser um verdadeiro homem, não pode ser qualquer coisa, e está tudo a similar, ele é totalmente impotente a respeito de tudo. Então, ele encontra esta coisa única, que o faz sentir-se vivo, e ele não pode sequer proteger aquilo. Ele não pode fazer nada. Ele acha que ele é um insignificante ser humano - bem, coisa.
 
Certo.  
Isso torna tanto mais surpreendente o segundo quando ambos só poderiam morrer literalmente quando se separam, e eu queria fazer esse tipo de coisa do tipo relativo à ópera Carmem. Ao mesmo tempo tem de se tentar agradar algumas pessoas, [risos], e realmente não se pode ir para um lado muito escuro por causa do livro.
Eu queria que lhes tocasse três vezes: quando ele salva a vida dela e magoa-o tocar nela, quando eles tentam se beijar e quando ele tenta matá-la, e quando ele está a chupar o sangue dela e a tentar matar porque tem medo do que podia acontecer. Em seguida, a realizadora deu-me uma cópia do livro com esses destaques de todas as vezes que ele sorriu e todas as vezes em que se tocavam. Então ...
 
Stephenie Meyer falou sobre a influência de muita literatura vitoriana, o que definitivamente parece evidente em Twilight, mesmo o facto do teu nome ser Edward. Vês alguma qualidade vitoriana em Edward?
Sim, definitivamente eu acho que há muito de Heathcliff.
 
O que é atraente nesse tipo de personagem que fez dele tão popular e que ainda hoje continua popular?
É ilegível. É atraente para as mulheres também, apenas esse tipo de mística. É tão óbvio, mas tão poucas pessoas têm isso, especialmente nos personagens de agora e, sobretudo, na sociedade moderna em que há tantas celebridades.
 
Estás nesta posição onde estás a interpretar este personagem atractivo devido a essa mística e, em seguida, não tens esse luxo.
Eu apenas desapareço. Realmente não faz diferença nenhuma. Mas eu não interpretei isso de forma tão antiquada; tentei entrar em poucos elementos. Penso que há tão poucos jovens personagens em filmes modernos, que ainda têm alguma forma de retenção, excepto se for um tótó. Acho que o Edward seria o atleta numa história normal, e apenas interpretando isso de forma sã não se pode realmente tocar - tudo é muito subestimado.
 
Porque achas que ele fica atraído pela Bella?
Acho que é uma progressão. A maneira como eu a fiz, tudo é como uma completa surpresa para ele. Ele tem tantos problemas. Ele parou de matar pessoas, há 50 anos, ela aparece e ele fica assim, "Oh, não me consigo controlar!" Só achei que o tipo ia pensar: "Esta maldita rapariga vai-me arruinar", tal como, "Ela não é melhor do que eu e posso controlar os meus instintos básicos". E assim começa o relacionamento começa como um [teste] à sua própria força de vontade.
" É como, "Eu posso chegar um pouco mais perto dela, e mais e mais próximo e mais próximo", e, em seguida, uma alegria sai dele exatamente como, "Vês, a comer os meus instintos de novo." Mais tarde, na maneira engraçada como ele quer matá-la faz com que ele perceba que está, de alguma forma, vivo. E é por isso que ela se torna tão importante, porque a única coisa que ele queria fazer antes era se tornar humano e morrer.  
Não há como fechar a história. Eu realmente nunca entendi todo o caminho. Eu compreendi a personagem do Edward. Não entendi o que realmente tinha a Bella. Tentei mesmo, e eu estava a trabalhar com Kristen. Há sem dúvida algumas características das adolescentes, que são muito, muito estranhas e que não são realmente exploradas no cinema. Adolescentes problemáticos, principalmente raparigas, em filmes são apenas uma dimensão que é tão ridícula, e elas têm sempre alguém para corrigi-las no final. Embora no Twilight ela realmente não fique corrigida, ela simplesmente fica com essa dependência.
Ela está bem no começo e depois ela torna-se completamente dependente; mesmo na última cena do filme, ela está a dizer, "Não digas nunca que me vais deixar." Isso é o que torna a história invulgar, quando se lê pelo seu valor nominal e é só assim, "Oh, ele é bastante fácil de ser lido." Pode-se ler em algumas horas, e é um pouco simples, mas logo que se começa realmente olhar para ele tem de se assumir enormes saltos para juntar os pontos do personagem. Então, eu acabei a colocar toneladas e toneladas de pensamentos a respeito disso, só para não o tornar num simples filme de fazer dinheiro como 95 por cento das pessoas desejavam que se tornasse.
 
Achas que é por isso que parece ter um forte seguimento porque ela não fica curada, no final, e as pessoas podessem-se identificar com isso?
As pessoas querem desesperadamente ler o próximo livro porque ela é uma pessoa diferente. Even though it's a solid ending at the end, it feels like it's missing a beat. Mesmo havendo um sólido final no fim, parece que falta alguma coisa. Eu realmente ainda não li o quarto por isso eu não sei como termina, mas eu definitivamente gosto da transição entre o primeiro e o segundo. The second one was my favorite one, even though I'm hardly in it. O segundo foi o meu favorito, mesmo que eu quase não esteja lá.  
 
Já alguma vez tiveste uma situação em que os fãs te enviaram uma coisa do tipo maluca ou muito extrema?
Eu tenho recebido vários livros sobre Cientologia de um fã. É muito engraçado, na verdade, quase toda a série sobre Dianetics. Ela queria que eu fizesse parte da Cientologia. Mas quer dizer, deve ter custado bastante enviar todas aquelas embalagens. E recebi um livro bem-vinculado com todas estas notas Unibomber-tipo. Pensei que isso era incrível.
 
O que eles dizem?
Coisas do tipo - "Queres casar comigo?", ou isso. Pensei que era bastante fixe, assim como, longas, centenas de páginas.
 
Leste tudo?  
Sim quase tudo. Quer dizer, há apenas tanta adoração que se pode tomar antes de começar a pensar, "Será um agradecimento suficiente, ou eu tenho realmente que dizer que sim a uma dessas pessoas?" [Risos]
 
Achas que as pessoas têm problemas em distinguir-te da sua personagem?
Yeah. Em seguida, eles sempre ficam realmente envergonhados e dizem, "Desculpa, eu chamei-te Edward." [ Risos ] Eu acho que as pessoas querem realmente ter alguma coisa para depositar as suas ideias. Em Itália [antes do filme estrear], eu estava literalmente a caminhar para fora do romance. Mas é provavelmente uma coisa boa.
 
Disseste que quando viste os sites de fãs que eles tinham todos vozes semelhante.
Eu recebo um monte de e-mails do meu agente a dizer [fãs que enviaram] queixas sobre a minha segurança e tudo, e elas estão realmente escritas profissionalmente. Há algo sobre os fãs dos livros - eles são obviamente muito mais literários. Quando se está em multidões, todos são tipo, "Nós amamos-te!" Mas as cartas e outras coisas que se recebe são incríveis, e isso é o mais surpreendente em relação a isso. Elas estão surpreendentemente bem escritas, todos têm realmente bom vocabulário e eles corrigem a gramática uns dos outros e coisas desse tipo. É muito engraçado.
" Eu realmente não sei como definir o grupo de pessoas, mas acho que pensa-se sempre, "és um fã obsessivo, mas parece ser uma pessoa lógica, por isso, não compreendo como as duas coisas andam juntas."
 
Tens algums adolescentes gays em contacto contigo?  
Está realmente a aumentar cada vez mais e mais mas é mais rapazes heterosexuais do que rapazes gays - a menos que o meu radar gay não esteja a funcionar. Isso só recentemente começou a acontecer. Eles estão todos um pouco envergonhado com isso, mas eles podem ir todos para cima e ainda ver o seu livro ou qualquer que seja assinada.
Estou tão habituado a escrever para raparigas e escrevo sempre assim, "Amor, romance e beijo, beijo, beijo" que tenho de riscar e dizer, "Oh, desculpa isto."
 
Fala-me de alguma experiência que tenhas tido em que descobriste que estava alguém escondido e a ver-te em cena.
É estranho. Digo novamente, porém, são todas pessoas realmente agradável. Parece-lhes totalmente lógico a razão de estar lá: "Nós gostamos disso. Queremos ver." E eles estavam tão envolvidos nisso. Acho que se estivéssemos a filmar isso agora ia ser uma história diferente. The crowds were getting bigger and bigger and bigger as we were shooting; they'd be out all night with us at a shoot. As multidões eram cada vez maiores e maiores enquanto filmávamos; eles iriam estar a noite toda connosco a filmar.  
 
Mas há algo que os distingue dos grupos que gritam pelos Jonas Brothers.
Sim, e eles defendê-los tão bem. Eles não querem ser associados a outros grupos. Tipo, vê-se pouca coisa mas placas da mensagem e isso - quando eu recebo alguma publicidade negativa, começa-se a ver literalmente 400 comentários a dizer, "Cala a boca! Estás apenas a dizer isto para as pessoas irem para o teu site." Não sei. Eu nunca esperei nada disto deste trabalho. [Risos]
 
Quem achas que é mais intenso, as Twilight mães ou as adolescentes?
As cartas mais intensas e isso vêm de pessoas mais jovens. As do ", eu vou-me matar ..." [cartas]. Isso é sempre um pouco preocupante. Mas as Twilight mães estão em toda parte. É inacreditável. Cada vez que fazemos uma aparência elas estão sempre na primeira fila, e compram os bilhetes com antecedência. É muito intenso. Elas são realmente sempre agradáveis, não parece uma loucura quando as conhecemos. Elas só gostam dos livros.
Há tão pouca literatura que visa raparigas, pelo que se torna muito sensacionalista e bem sucedido. Há definitivamente um clã de mentalidade com os fãs, e as pessoas querem fazer parte do grupo. Eles gostam de defender isso, porque muitas pessoas dizem que é extravagante, e eu acho que muitas dessas pessoas têm uma mentalidade de fora - o livro inteiro, todo o tipo de fantasia...
 
Mas, em seguida, pessoas de fora, que também não são realmente estranhos.
Não mais. Quando os estranhos se tornam fortes é extremamente poderoso. Tal como o filme vem acontecendo e as capas das revistas, mais pessoas pensam que é legitima e mais pessoas compram o livro, tudo é tipo galvanizado. É por isso que não me sinto realmente mal com o fenómeno nem nada, porque não é alguém que está a forçar para baixo da garganta de ninguém. A razão por que fomos ao VMAs é porque todos esses fãs enviaram e-mails a pedir-nos. Não é alguém que está pagando por isso - é tudo impulsionado pelos fãs por isso está totalmente fora das mão de ninguém.


Joana TP às 16:21 | link do post | comentar

status

Online desde:25.04.2008

Contador: hits

Staff do TP: And, Carolina
layout: MissangaAzul


Contactos


em todos os momentos twilight


Já nos deste o teu like?
pesquisar neste blog
 
Links vários
comentários recentes
Nova tatuagem?
sai o divórcio no museu antes de no papel :D
É interessante ver Michael Sheen em um papel difer...
Obrigada!
Obrigada! Sê bem-vinda :)
Oi, sou do Brasil e sou nova por aqui, estou amand...
Não sabia que se conheciam, a St.Vincent faz parte...
Corrigido, obrigada :)
Sabe tão bem voltar a ver fotos dele em ação. Uma ...
A foto não tem dia específico. É de ''há alguns di...

Arquivo
2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


2005:

 J F M A M J J A S O N D


2004:

 J F M A M J J A S O N D


2003:

 J F M A M J J A S O N D


2002:

 J F M A M J J A S O N D


2001:

 J F M A M J J A S O N D


2000:

 J F M A M J J A S O N D


1999:

 J F M A M J J A S O N D


1998:

 J F M A M J J A S O N D


1997:

 J F M A M J J A S O N D


1996:

 J F M A M J J A S O N D


subscrever feeds