Domingo, 31.07.11

"Angel Of Mine"

Capítulo 6 - O Jantar

 

 

 

 

Estava extremamente nervosa, quando finalmente entramos na casa. Quem nos abriu a porta foi Esme, a mulher do Dr. Cullen. Estava radiante no seu vestido lilás, e sapatos de salto pretos. Cumprimentou-nos e guiou-nos até à sala de jantar.

Os Cullens tinham uma mansão enorme. Carlisle tinha um bom salário, sendo médico, e Esme era arquitecta. Além disso a família Cullen tinha uma grande herança, que havia passado de geração em geração, até hoje.
Entra-mos na sala de jantar, Carlisle estava sentado na sua poltrona preferida, saboreando um copo de vinho tinto. Cumprimentei-o e perguntei por Alice e Rose.
- Estão lá em cima no quarto Bella, por favor, estás a vontade para ir ter com elas.
Agradeci, e pedindo licença retirei-me em direcção às escadas. Lá atrás na sala, ouvi Charlie e Carlisle a falar entusiasticamente.
Subi até ao segundo andar, e bati na porta do quarto de Alice.
- Podes entrar, Bella.
- Como é que sabias que era eu? – Perguntei entrando e sentando-me na cama ao lado de Rose.
- Ouvi-te chegar. Por favor Bella dá-me uma ajuda! – Alice enfrentava um dilema com a roupa. Segurava em dois vestidos, um rosa e outro cinza.
- Estou farta de lhe dizer que qualquer um lhe fica bem. – Rosalie suspirou. - Alice é só um jantar, por favor veste qualquer coisa.
- Não posso simplesmente vestir qualquer coisinha!
- Então veste o rosa, podes combinar com aqueles sapatos que compras-te ainda no outro dia. – Alice passava a vida nas compras, tinha tanta roupa e acessórios que enchiam dois armários enormes, encostados a uma parede do seu quarto gigante.
- Boa ideia Rose.
Apressou-se a ir buscar os sapatos, enfiou-se no vestido e deu um retoque rápido na maquilhagem.
- Bella, só viste tu e o Charlie?
- Sim. O Jacob ficou na casa de um amigo, acho que tinham um trabalho para fazer, ou qualquer coisa do género... - Tentei soar perfeitamente casual, mas vi Alice revirar os olhos. Ela não era idiota, não conseguia engana-la com uma desculpa esfarrapada deste género.
- Sabes, eu própria ainda tenho aquele trabalho de história para fazer. Acho que vou embora um pouco mais cedo para ver se o acabo.
- Ah Bella, nem penses! Vais ficar e vais acabar esse trabalho amanha. – Alice usou o seu tom de comando, e não me deu margem para negociações.
- Acho melhor ir ver como estão os rapazes. Devem estar todos na conversa no quarto do Emm e não se lembram de vestir algo decente.
Rosalie levantou-se e saiu. Alice apressou-se a ocupar o lugar dela sentada na cama ao meu lado.
- Então Bella, diz lá o que é que se passa?
- Como assim? – Tentei soar surpresa, como se a sua pergunta não tivesse qualquer fundamento.
- Pareces mais nervosa do que o habitual. Lembra-me da primeira vez que vieste cá jantar.
-Não estou nervosa, Alice. A sério! – Aprecei-me a acrescentar quando vi o seu ar céptico. – É só que, é um jantar de boas vindas para o Edward e eu não o conheço bem. Estou a sentir-me deslocada, só isso.
- Mas este jantar é para isso mesmo, para que se passem a conhecer melhor.
Não sabia o que lhe responder a isso. Não tinha a certeza de querer conhecer Edward. Havia algo nele, que me fascinava, mas havia também uma estranha sensação de desconfiança. Ainda não tinha uma opinião completamente formada acerca dele.
Nessa altura, ouvimos Esme chamar-nos, o jantar devia estar pronto, por isso resolve-mos descer e deixar o assunto para outra altura.
Dirigimo-nos para a sala de jantar, magnificamente decorada, e ocupa-mos os nossos lugares à mesa. Nem os rapazes, nem Rosalie tinham descido ainda, por isso Esme voltou a chamar. Pouco depois, apareceram Jasper e Emmett, seguidos por Rosalie e Edward.
Sentaram-se à mesa connosco, e Edward ficou à minha frente. Sorriu-me levemente, mas desviei o olhar. Apesar de querer muito, não conseguia encara-lo. Tinha decidido confronta-lo se a oportunidade surgisse, só assim conseguiria ter paz. Mas por um lado desejava não ter de faze-lo. A pergunta que teria de lhe fazer, até aos meus ouvidos soava estranha e anormal.
O jantar decorreu mais normalmente do que eu tinha previsto. Ao contrário do que eu pensava, Edward não foi o principal tema de conversa. Falei apenas quando necessário, quando Esme me perguntou como andava a escola, ou quando Alice me fez descrever o meu acidente ridículo. Edward também se mantinha calado, um facto que me impressionou.
No fim da sobremesa, as pessoas começaram a abandonar a mesa e a dirigirem-se de novo para a sala. Charlie, Esme e Carlisle, cada um na sua poltrona, mantinham uma conversa sobre a nova obra de Esme em Seattle. Jasper, Emmett e Rosalie instalaram-se no sofá da sala e conversavam sobre a escola. Edward encontrava-se com Alice num outro sofá e conversavam baixinho. Com a desculpa de que precisava de apanhar ar, dirigi-me à varanda da parte de trás da mansão e encostei-me ao gradeamento. Olhei a escuridão à minha frente, era uma linda noite de Primavera. A lua estava brilhante e pequenas estrelas embelezavam o céu. Mantive-me ali, apenas a contemplar o vazio e a ouvir o burburinho de vozes lá dentro.
- A noite hoje está especialmente bonita.
Ouvi de repente uma voz mais alta e clara do que as outras. Uma voz melodiosa.
Voltei-me sem sair do lugar. Edward encontrava-se junto da porta, encostado à parede, parecendo mais uma estátua com a sua tez pálida a sobressair na noite escura.
Não lhe respondi, limitando-me a voltar-me de novo em frente e a ignorar o seu comentário. Ele aproximou-se e colocou-se do meu lado. Fica-mos ali em silencio, apenas olhando em frente.
É agora. Tinha de ser agora. Não haveria com certeza uma melhor altura.
- Eu conheço-te.
Pareceu espantado com a minha afirmação.
- Sim e eu também te conheço Bella. A Alice apresentou-nos. – Falou com nítida ironia na voz.
- Não é isso. Eu já te conhecia antes disso. - Falei agora mais claramente e olhei-o nos olhos. Queria parecer mais forte e mais segura do que realmente me sentia.
- Sim, se quiseres contar o nosso encontro na aula de biologia.
Suspirei. Não me estava a fazer entender, ou ele estava a fazer-se de parvo. Achei melhor ser um pouco mais directa.
- Eu lembro-me de ti. De há dez anos. – Senti a voz falhar-me um pouco, estava a entrar na parte constrangedora.
- Não te estou a entender Bella. – Apesar de parecer despreocupado, tinha um ar sério, e a ironia desaparecera completamente da sua voz.
- Eu vi-te, há dez anos. Tu... tu estás igual, não mudas-te nada...
- Bella, estás a ser absurda.
- Não! Não me venhas com isso. Eu sei o que vi, não me podes dizer que estou a ser absurda quando eu tenho certeza do que vi!
- Bella, eu não sei o que tu pensas que viste, mas não era eu. Se foi há dez anos, como dizes, deves estar confusa. Já foi há muito tempo...
- Eu vi-te, e não estavas sozinho, chamaram o teu nome. Não podia ser alguém igual a ti e ainda por cima com o mesmo nome!
Estava a ficar exasperada. Os meus maiores receios tinham-se tornado reais. Ele estava a negar tudo. Mas isso só fez a minha determinação em saber a verdade cada vez maior. Eu ia descobrir o que tinha acontecido.
- Olha, eu não sei como o fizeste.... Mas a verdade é que manténs a mesma aparência... Só quero que me digas a verdade. – Olhei mais fundo nos seus olhos dourados à espera de que fosse sincero. Eu sabia que era ele, só queria ouvir da sua boca a confirmação, era a única maneira de eu começar a confiar nele.
- Não sei o que queres que te diga. Já te disse que não era eu. – O seu tom de voz era cada vez mais definitivo, como se quisesse acabar com aquela conversa a cada frase que proferia.
- Eu sei que eras tu, reconheci-te logo que te vi. – Estava cada vez mais nervosa, e sentia-me como se pudesse começar a chorar a qualquer momento. – Edward, por favor, diz-me a verdade.
Ele virou a cara, e eu tomei isso como um sinal de fraqueza. Ele já não sabia o que me dizer, e a verdade é que nenhuma frase que saísse da sua boca me ia fazer mudar de ideias. Eu sabia o que tinha visto, sonhei com o seu rosto durante dez anos. Resolvi insistir mais.
- Edward, por favor. Eu tenho de saber.
Ao ver que ele não reagia, levei a minha mão ao seu ombro, como que a encoraja-lo a dizer-me alguma coisa, embora eu não soubesse se iria gostar do que ele me pudesse vir a revelar.
Parecia que ele travava uma grande batalha interior, como se não tivesse decidido ainda o que fazer. Suspirou.
- Não era isto que eu queria. Não era suposto ser assim... - Parecia que falava mais para si próprio do que para mim.
Voltou o seu rosto para mim, e lançou-me um olhar penetrante, como da primeira vez que o vira, quando olhou para mim mesmo antes de eu desmaiar.
- Bella, vais esquecer que me viste há dez anos atrás.
Não sei bem o que esperava, mas não era isto de certeza.
Falou com um tom que eu nunca lhe tinha ouvido antes. Um tom extremamente autoritário, como se depois daquilo, eu fosse obrigada a simplesmente esquecer, sem fazer perguntas.
Senti-me ao mesmo tempo ofendida, chateada, e irritada. Senti os olhos a arder, e as lágrimas a formarem-se, lutando para sair.
-Idiota! O que é que pensas?! Que vou esquecer tudo só porque tu mandas?
Ele olhava para mim estupefacto, como se não esperasse esta reacção da minha parte.
Esperei que ele falasse, que ao menos tentasse explicar a sua atitude, ou pedisse desculpas.
Ao ver que ele não pretendia fazer nenhuma das duas coisas virei-lhe as costas sem pensar e voltei-me para me dirigir à sala. Agarrou-me no braço a meio do caminho e voltou-me para ele. Continuava com o seu ar surpreso e distante.
- Bella, não podes dizer nada. Não podes contar a ninguém.
Foi a minha vez de ficar surpresa. Ele estava finalmente a admitir, com todas as palavras. Apesar disso, a sua confissão não diminuiu a minha dor. Soltei-me dele com brusquidão.
- Não tens o direito de me pedir nada.
Lance-lhe mais um olhar irado, antes de o abandonar, sozinho e imóvel na varanda.

 



Constança às 22:02 | link do post | comentar

3 comentários:
De BModesto98 a 31 de Julho de 2011 às 22:18
Amei <3


De Carol a 31 de Julho de 2011 às 22:26
Quero mesmo saber o que vai acontecer agora que ela tem a certeza que foi ele!

Continua a escrever, tens mesmo talento


De Patrícia a 2 de Agosto de 2011 às 01:30
Estou a adorar, segui desde o inicio.
Adoro, todo o instante em que Bella e Edward interagem.
Concelho: tenta nao te aproximares muito da verdadeira história, e supreende.



Comentar post

status

Online desde:25.04.2008

Staff: And e Carolina
Layout: Missanga Azul
em todos os momentos twilight


Já nos deste o teu like?
pesquisar neste blog
 
Links vários
comentários recentes
Eu venho cá todos os dias para ver o que há de nov...
Olá :) Pondo as cartas na mesa e sendo sincera ao ...
Olá! Vocês vão desativar a página...?
Que coincidência engraçada! Confesso-te que até ti...
Que orgulho!
As voltas que a vida dá, sem dar voltas nenhumas: ...
Queen sempre foi uma das minhas bandas de eleição....
Tudo corrigido. Obrigada :)
A foto é de dia 03 de Julho, na exposição de anive...
Sebastian Bear é o marido da Emily e produtor de "...

Arquivo
2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


2005:

 J F M A M J J A S O N D


2004:

 J F M A M J J A S O N D


2003:

 J F M A M J J A S O N D


2002:

 J F M A M J J A S O N D


2001:

 J F M A M J J A S O N D


2000:

 J F M A M J J A S O N D


1999:

 J F M A M J J A S O N D


1998:

 J F M A M J J A S O N D


1997:

 J F M A M J J A S O N D


1996:

 J F M A M J J A S O N D


subscrever feeds