Quinta-feira, 29.12.11

"Brianne"

Capítulo 51 - Mentiras Piedosas

 

 

 

 

 

Os dias foram correndo sem que nós nada pudéssemos fazer para os deter.
Cada momento de felicidade, cada sorriso era acompanhado por uma sensação estranha de tempo contado, como se tudo aquilo fosse acabar em menos de nada. E, a verdade é que ia. Em menos de nada, eu estaria em casa. Em menos de nada, tudo acabaria...
Três dias. Só mais três dias.
Foi também por esta altura que tivemos a nossa primeira e única discussão. Depois de uma manhã de caminhadas, decidi que tinha de ter uma conversa com Seth sobre a minha partida.
Desde que o meu relacionamento com Seth se havia intensificando, que na minha mente se formavam cenas de choro e desespero num aeroporto.
Eu chorava, Seth gritava e era arrastado por Jacob. Ou pior no pior dos meus pesadelos, haveria uma transformação em pleno aeroporto.
E eu, não queria nada do género. Em primeiro lugar, eu detestava despedidas, e em segundo, eu não estava pronta para me despedir de ninguém. Não queria pura e simplesmente dizer adeus a ninguém, isso significaria esquecer, desistir de os ter na minha vida, e o que era inconcebível.
Por isso, decidi que apenas Ellen estava autorizada a levar-me até ao aeroporto – muito por eu precisar de boleia (e por eu não querer ir sozinha!)
- Isso é a coisa mais parva que eu já ouvi em toda a minha vida – queixava-se Seth.
Estávamos mais uma vez na praia, sentados na areia húmida, encostados a gigantescos troncos brancos. E, como seria de esperar, Seth não concordava com a minha posição face à partida.
- Mas porquê? - perguntava repetidamente, esbracejando e remexendo-se a meu lado.
- Oh... já te disse,... porque eu não quero... não goste de despedidas, e vai ser muito mais difícil partir contigo lá...
Seth levantou-se abruptamente, e passou os cinco minuto seguintes a andar de trás para a frente, nos tês metros de areal à minha frente. Durante todo esse tempo, repetia vezes e vezes sem conta a já gasta frase: "Isso é a coisa mais parva que eu já ouvi em toda a minha vida!"
- Ninguém vai... – disse-se por fim.
Nada. Seth continuou o seu percurso, qual pêndulo.
- Só a Ellen... - proferi pausadamente.
Mais do mesmo.
- Assim vai ser melhor para todos – disse com falso optimismo.
- Melhor?!? Melhor, para quem? – perguntou com voz rude.
Senti a sua raiva atingir-me. A culpa era minha. Eu tentara evitar aquela situação a todo o custo. Mas não fora ele quem dissera que era forte e era capaz de lidar cm tudo aquilo? Ao que parecia, ele não era...
Muito bem, então!
- Tu sabias no que estavas a meter-te! Desculpa ter aparecido na tua vida! – atirei-lhe ao mesmo tempo que me levantava.
- Espera – pediu-me ele, vendo-me andar na direcção da aldeia.
Ouvi o seu passo apressado atrás de mim. Uma mão forte alcançou o meu braço.
-Desculpa! Estava a ser parvo! – pediu.
-Desculpa eu... – superei voltando-me de frente para ele. – Não devia ter largado assim a bomba...
Seth tomou a minha mão na sua.
- Fui tudo tão rápido... sinto que tivemos tempo suficiente... para... para nada... - lamentou fechando os olhos com força.
- Eu sei... Sinto muito – disse.
Uma lágrima rolou pela minha face e fechei também os olhos.
Mais lágrimas seguiram o caminho das primeiras.
O meu coração, outrora carregado de amor e felicidade, estava agora pequenino, amarrotado.
Sentia-me pessimamente ao saber que Seth acabaria por sofrer com a minha partida.
Como iríamos viver, um sem o outro, depois da impressão?
Pelo que sabia, o nosso caso era único; por norma, o lobo tinha a impressão por alguém minimamente conhecido, alguém próximo... geograficamente próximo...
Senti os lábios de Seth na minha bochecha, colhendo as minhas lágrimas.
-Oh Bri! Não chores, por favor... - pediu abraçando-me.
Aconcheguei-me ao seu corpo, e molhei-lhe a t-shirt.
- Vai ficar tudo bem. Vamos resolver isto – dizia repetidas vezes, beijando-me o alto da cabeça. – Não te preocupes. Eu estou aqui. Sempre. Para ti.
Voltei a fechar os olhos. Queria acreditar com toda força que Seth estava certo, e que aquelas mentiras piedosas, um dia seriam verdades.

 



Constança às 22:07 | link do post | comentar

2 comentários:
De Margarida a 29 de Dezembro de 2011 às 22:32
Oh :'( Não quero que eles se separem!


De Marina Ricardo a 28 de Janeiro de 2012 às 23:54
Muito Obrigada Pelo teu comentário! :)
Espero que continues acompanhar!

Obrigada!

Beijinhos*


Comentar post

status

Online desde:25.04.2008

Staff: And e Carolina
Layout: Missanga Azul
em todos os momentos twilight


Já nos deste o teu like?
pesquisar neste blog
 
Links vários
comentários recentes
clube de fãs
Tinha de vir aqui a este cantinho, finalmente o Mi...
A primeira imagem certamente está "quebrada", e pa...
Sobre os Talentos especiais de Alec: ele tem um V...
Você ainda a tem? Se sim, poderia me enviar? model...
Olá. Estou a procura de uma fanfiction que vocês p...
Aproveito só que está esteve a dar breaking dawn n...
Pelo que eu vi da entrevista, o Rob foi irônico ao...
Casamento lindo, me lembrou muito o casamento da B...

Arquivo
2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


2005:

 J F M A M J J A S O N D


2004:

 J F M A M J J A S O N D


2003:

 J F M A M J J A S O N D


2002:

 J F M A M J J A S O N D


2001:

 J F M A M J J A S O N D


2000:

 J F M A M J J A S O N D


1999:

 J F M A M J J A S O N D


1998:

 J F M A M J J A S O N D


1997:

 J F M A M J J A S O N D


1996:

 J F M A M J J A S O N D


subscrever feeds